A eleição está se aproximando, e as campanhas, sobretudo para presidente, estão ficando cada vez mais acirrada. A disputa entre os dois candidatos mais badalados, Dilma Rousseff e Aécio Neves, já é o assunto predileto dos lapenses.

Recentemente o Ibope divulgou uma pesquisa em que Dilma aparece na liderança isolada com 38% das intenções de votos; Aécio Neves na segunda colocação com 23%; Eduardo Campos com 9%; e o Pastor Everaldo com 3% fecha a pesquisa.

Mas na verdade, quem é Aécio Neves que levanta a bandeira da moral e da ética política? Atualmente como Senador, representando o Estado de Minas Gerais, Aécio foi governador por dois mandatos no Estado de Minas, saindo do governo para disputar uma vaga no Senado Federal, em alta.

Hoje, ele é o principal nome na corrida presidencial da oposição, que vem desgastando o governo petista da presidenta Dilma Rousseff com críticas pesadas. Acusou recentemente a presidenta de ser a principal responsável pela compra escandalosa, que causou rombo bilionário aos cofres público, da refinaria de Pasadena na Califórnia EUA. Além disso, Critica a cúpula e integrantes do PT de corrupção no caso de mensalão, dentre outros.

DILMA ROUSSEFF, AÉCIO NEVES E A CIDADE DE  BOM JESUS DA LAPA

O QUE VALÉRIO PT E PSDB TEM EM COMUM? OS MENSALÕES?

Mas será que a trajetória do tucano Aécio Neves é tão limpa assim? Vou expor alguns fatos e você, caro leitor, tire sua própria conclusão. Aécio é político e se tratando de político tudo pode acontecer não é? Aécio chama os adversários de mensaleiros, no entanto, o partido dele (PSDB), em Minas Gerais, responde a um processo da mesma natureza do mensalão (compra de votos), que foi apelidado de “Mensalão Tucano”, também denominado mensalão mineiro e tucanoduto.

Para você entender melhor: Esse é o escândalo de peculato e lavagem de dinheiro que ocorreu na campanha para a eleição de Eduardo Azeredo (PSDB-MG) – um dos fundadores, e presidente do PSDB nacional – ao governo de Minas Gerais em 1998, e que resultou na sua denúncia pelo Procurador Geral da República ao STF, como “um dos principais mentores e principal beneficiário do esquema implantado”, baseado no Inquérito nº 2280 que a instrui, denunciando Azeredo por peculato e lavagem de dinheiro.

O valerioduto tucano foi um esquema de financiamento irregular – com recursos públicos e doações privadas ilegais – à campanha à reeleição em 1998 então governador mineiro Eduardo Azeredo (PSDB), montado pelo empresário Marcos Valério (a mesma figurinha repetida (carequinha) lembra?) que montou o mensalão do PT.

MUITA COINCIDÊNCIA HEIN, AÉCIO NEVES?

Ainda em Minas Gerais, o Ministério Público mineiro vai apurar a construção de um aeroporto no município de Cláudio. A obra fica em uma área que pertencia a um tio-avô do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, e foi desapropriada quando ele (Aécio) estava no segundo mandato como governador.

O candidato nega ter havido qualquer favorecimento. O aeroporto foi construído por quase R$ 14 milhões em 2010 em terras pertencentes a um tio-avô do então governador do estado, Aécio Neves. No local havia uma pista de pouso de terra.

A imprensa afirma que o uso do aeroporto é público e gratuito, mas que as chaves do portão ficam em poder da família de Aécio, que confessou depois de muita pressão da imprensa, que utilizou a pista para visitar familiares.

Um bom habitante de Bom Jesus da Lapa deve estar fazendo as seguintes contas: Minas Gerais tem 586.522,122 km² de área, ou seja, mais de meio milhão de quilômetro quadrado, é o quarto maior estado do Brasil, e Aécio acha de construir o aeroporto justamente nas terras da fazenda do seu tio-avô. É coincidência demais! Essa coincidência os habitantes de Bom Jesus da Lapa não tem para ganhar na Mega Sena!

E O JOSÉ ROBERTO ARRUDA?

Um dos principais apoiadores do candidato à presidência de Aécio Neves, que levanta a bandeira da ética é José Roberto Arruda, ex governador do Distrito Federal, que no dia 11 de fevereiro de 2010, numa decisão do Superior Tribunal de Justiça, teve prisão decretada e passou meses atrás das grades.

Foi o primeiro caso na história do Brasil que um governador teve sua prisão decretada. No dia 4 de março de 2010, a Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou o parecer da Comissão Especial que pede a abertura do processo de impeachment do governador afastado José Roberto Arruda.

Em 16 de março de 2010, José Roberto Arruda teve o seu mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal. Mas, como toda lei tem uma “brechinha” para aqueles que não é muito afim de cumpri-la, o senhor José Roberto Arruda está solto e é candidato a Governador do Distrito Federal (acredite se quiser) e vota (segundo jornal Folha de São Paulo, em uma entrevista com o próprio em 04/08/14) no então candidato a presidente defensor da ética política: Aécio Neves. Hummm! Constrangedor, não?

É lamentável para o Brasil ter uma política baseada nas acusações e difamações dos principais candidatos ao maior cargo eletivo do país, em detrimento das propostas, dos planos e projetos de governo que deveriam ser apresentados para o esclarecimentos do eleitor.

Mais triste ainda é olhar e não ver um candidato com postura idônea, com passado transparente, de ser obrigado a votar como o povo diz: “no menos pior”. Nesse cenário, é bom os candidatos não jogarem muita pedra no telhado dos outros porque o seu (telhado) certamente é de vidro.

Por: Fábio Teixeira