Consórcio ou financiamento? Quem pensa em comprar um automóvel neste momento por meio de financiamento, deve avaliar se é realmente hora de firmar um compromisso desses, já que a economia está enfraquecida, a taxa Selic alta e é justamente ela que orienta as demais taxas de juros. A previsão não é de uma melhora imediata na economia, mas mesmo que não aumente e que fique estagnada, ainda assim o financiamento não se mostra como uma das melhores opções.

A não ser que tenha dinheiro para comprar à vista – o que facilita bastante e traz muitas vantagens – uma vez que com dinheiro na mão é fácil negociar e conseguir descontos ou outros benefícios, uma outra alternativa seria o consórcio.

Consórcio ou financiamento: vantagens e desvantagens

Consórcio ou financiamento: vantagens e desvantagens. Foto: G1.

Como forma de ‘clarear’ um pouco sobre a melhor opção, se deve fazer um comparativo entre as duas opções.

Consórcio ou financiamento: qual a melhor opção de compra

Financiamento

O financiamento acontece quando o banco concede um crédito ao consumidor para a compra do veículo e recebe a quantia de volta de forma parcelada – em até 60 parcelas. O que acontece é que o banco concede o crédito mas pede de volta o valor corrigido, com juros.

Os juros de financiamento de veículos variam bastante de banco para banco, mas se pode dizer com bastante convicção que no final, o valor pago é absurdamente maior do que o preço de venda do veículo – muitas vezes não se percebe o quanto mais se paga, pois em financiamentos longos, o valor se dilui bastante. Em tempos em que a economia estava melhor já era assim, então imagine atualmente, com juros altos e economia fraca e instável.

Vantagem do financiamento: o consumidor fecha o negócio e já sai de carro da concessionária ou revenda.

É importante lembrar que além dos juros, sobre o financiamento também incide o Imposto sobre Operações Financeiras – IOF.

Consórcio ou Financiamento comparativo

Consórcio ou financiamento: comparativo

Consórcio

O consórcio pode ser visto como uma forma de poupar em grupo. Trata-se também de uma compra parcelada, mas na qual o consumidor não retira o bem, somente se sorteado, por lances dados nas assembleias ou no final do plano. Quem não tem pressa em pegar o veículo. O consórcio não tem juros, mas as administradoras cobram uma taxa administrativa, mesmo assim é um valor menor que juros bancários e que diminui bastante o valor do final da compra.

Quem tem um valor para dar de entrada, pode optar pelo consórcio e usar esse valor para dar como lance e tentar ser contemplado – mas é necessário que tenha em mente que não é certo que vá conseguir em uma primeira tentativa – não há garantias. Mas pode ir tentando até conseguir e assim ter o seu veículo com parcelas menores e sem juros altos.

Uma desvantagem do consórcio: caso o titular desista do seu plano, ele terá que esperar até o final do grupo para ter a devolução do que investiu em parcelas pagas. Se for um grupo de 48 meses e a pessoa desistir na 24ª parcela, terá que esperar 24 meses para solicitar a devolução do seu dinheiro. É um ótimo negócio para quem quer se planejar para 4 ou 5 anos à frente e não se importa em esperar.

Uma dica para você decidir entre consórcio ou financiamento: faça simulações, pesquise formas de financiamentos em várias financeiras ou bancos e verifique junto à administradoras de consórcios, calcule o quanto você pagará no final de cada um e decida pelo que mais se ajustar à sua situação.

Anunciar no central da lapa