Com a temporada de frio cada vez mais perto, considerando que ainda se tenha um clima bem definido, chega também a preocupação com as alergias e doenças que a mudança de temperatura costuma ocasionar.

Rinites, bronquites, sinusite, asma, resfriado e gripe são exemplos de males que afetem as pessoas constantemente, não somente em épocas mais frias do ano, mas as estações frias propiciam mais as alergias e a propagação dos vírus. Mas, engana-se quem pensa que o frio é causador disso – é crença popular, muitas pessoas lembrarão que cresceram com avós e mães aconselhando a que todos se agasalhassem bem no frio para não pegar gripe ou resfriado.

As diferenças entre resfriado, gripe comum e gripe H1N1

Na verdade o que acontece é que talvez os vírus se propaguem com mais facilidade pelo fato das pessoas passarem mais tempo em ambientes fechados e os próprios ambientes com pouca ventilação, já que todos querem ficar quentinhos.

De todos os “males” citados acima, há três que sempre causam confusão – às vezes alguém diz que está gripado quando é apenas um resfriado. E com as notícias dos diversos casos de gripe H1N1 pelo país, é bom que se saiba exatamente o que cada um deles causa, por isso, vamos ver os principais sintomas, para facilitar na hora de identificar.

Como diferenciar resfriado, gripe e gripe H1N1

Sintomas de resfriado

Não há febre, ou se houver é bem baixa – o mesmo com a dor de cabeça: ausente, ou bem leve;
O resfriado raramente causa calafrios;
Cansaço, dores musculares e ardência nos olhos são sintomas muito leves;
Tosse: de leve a moderada e dor de garganta e catarro moderados.

Sintomas de gripe comum

A febre não chega a 39º e a dor de cabeça é moderada;
Causa calafrios esporadicamente;
A ardência nos olhos é leve, o cansaço e as dores musculares são em nível moderado;
A tosse é bastante intensa e há catarro, nível forte, juntamente com congestão nasal.

Sintomas de gripe H1N1

A febre é bastante alta, mais de 39º e surge repentinamente; há dor de cabeça intensa;
Provoca calafrios frequentes;
Cansaço extremo, ardência nos olhos e dores musculares intensos;
Tosse contínua e seca e não é comum haver catarro;
Pode causar também vômito e diarreia.

As diferenças entre resfriado, gripe comum e gripe H1N1

Estando bem informado sobre os sintomas, fica mais fácil identificar a causa do mal-estar e iniciar o tratamento adequado. Em caso de suspeita de gripe H1N1, não deve haver automedicação e um médico deve ser procurado com urgência.

Lembrando que a campanha de vacinação na rede pública contra a H1N1 começa neste mês de abril, para os grupos prioritários: trabalhadores da saúde, gestantes, pessoas com mais de 60 anos, crianças entre 6 meses e 5 anos, indígenas, pessoas do sistema prisional e pessoas com doenças crônicas. Há um calendário de vacinação que deve ser consultado juntos aos postos de saúde e locais de informação.

Alguns outros cuidados também são essenciais para evitar ser contaminado pelo vírus H1N!, como lavar as mãos constantemente e usar álcool gel em locais de grande circulação de pessoas.

Uma boa alimentação e a ingestão de vitaminas, principalmente a vitamina C também ajuda a deixar o organismo forte para lutar contra as alergias e os vírus – ajudam a manter gripes e resfriados longe.