No último dia 24, os servidores do TJ-BA, filiados ao Sintaj, iniciaram uma greve com adesão em massa tanto dos servidores da capital quanto do interior. O TJ-BA, que frequentemente frequenta as páginas policiais, vive a maior crise da sua história. Fábio Teixeira, servidor do Tribunal de Justiça, no cargo de Técnico Judiciário do Juizado Especial em Bom Jesus da Lapa, dá seu depoimento sobre o assunto:

Estamos no mês de julho e até o momento não tivemos a nossa reposição inflacionaria que vergonhosamente foi feita a oferta para ser dividida em 2 vezes, mais parecendo o crediário das Casas Bahia; o aumento do PCS até o momento não foi cumprido. Entre outras reivindicações que estão pendentes. A alegação é que não tem dinheiro. Ora, não tem dinheiro para beneficiar quem menos ganha, mas pra dar aumento de auxílio moradia a grupos de servidores e criar cargos de assessores de desembargadores com salários de 18 mil o dinheiro tem e tá sobrando. Isso é vergonhoso, visto que vivemos em tempos de crise econômica que está sangrando a economia brasileira.

Pedimos a compreensão da sociedade baiana, e em especial a lapense, que o objetivo dessa greve não é de afrontar a sociedade e sim mostrar para os cidadão os percalços que existe dentro do TJ-BA.

Abaixo segue um vídeo do Fábio em que expressa a realidade cruel que mostra como os servidores vem sofrendo com o atual presidente do Tribunal de Justiça da Bahia:

Se tiver problema para visualizar o vídeo, clique no link: http://youtu.be/ulfexk4BPdQ

Veja também carta do Sintaj com o título “A Verdade sobre o Tribunal de Justiça da Bahia”, explicando os motivos que levaram à greve no Judiciário baiano.

carta do Sintaj A Verdade sobre o Tribunal de Justiça da Bahia