Há, no mercado de seguros, alguns que oferecem opções de cobertura de seguro para o risco de desemprego. Ninguém quer perder o emprego e ficar sem opções para garantir as despesas da casa e o sustento da família, principalmente em tempos de instabilidade econômica, como está o atual cenário brasileiro.

A cobertura para perda de renda ou desemprego pode ser contratada juntamente com outras coberturas, como a de danos ou seguro pessoal.  A perda de renda não é necessariamente em caso de desemprego, pode ser referente à incapacitação temporária, por conta de algum acidente ou doença.

Esse tipo de seguro é normalmente comercializado em produtos específicos, como o seguro educacional, microsseguro e seguro prestamista. Para a contratação da cobertura desemprego e/ou perda de renda, há alguns critérios, como tempo mínimo de carteira assinada, tempo mínimo no último emprego, motivo da demissão e outros – os requisitos variam de seguradora para seguradora.

seguro para o risco de desemprego

Contando com a colaboração do Administrador e Consultor de Seguros Hallison Santana, da Nordeste Seguros de Bom Jesus da Lapa, abordaremos a seguir como funciona o Seguro para o risco de desemprego.

Opções em cobertura de seguro para o risco de desemprego

Seguro Prestamista

Trata-se de uma modalidade de seguro de vida em grupo, que dá garantias da liquidação de um pagamento de algumas prestações (número determinado) assumidas pelo segurado. As situações nas quais isso ocorre são:

  • morte natural ou acidental;
  • invalidez permanente e total, causada por acidente;
  • perda de renda por desemprego involuntário;
  • perda de renda por algum tipo de incapacitação física temporária, entre outras.

Raramente as coberturas garantem a quitação do saldo devedor, e sim, de algumas parcelas da dívida, salvo se o número de parcelas corresponder ao estipulado na apólice de seguro.

Alguns eventos não garantem a cobertura adicional de perda de renda por desemprego involuntário, por exemplo se o segurado pediu demissão voluntária, se foi demissão por justa causa,  contrato de trabalho temporário e falência do empregador, citando alguns.

Em caso de perda de renda por incapacitação física, situação em que o segurado não tenha realmente condições de trabalhar, o seguro é acionado por um período de tempo, determinado na apólice.

Seguro educacional

A maioria das corretoras de seguros garantem o pagamento de mensalidades durante três meses e durante a validade do seguro – é claro que, como em todos os aspectos, as regras e critérios variam para cada corretora. Esse tipo de seguro é uma segurança que os pais têm de garantir o estudo dos filhos caso aconteça algum imprevisto e ele se encontre sem renda.

A contratação também pode ser feita pelo aluno, desde que tenha a idade mínima de 16 anos. Com relação à idade máxima para a contratação desse tipo de seguro, há uma variação entre 65 e 70 anos.

Vale lembrar que há um período de carência, caso o segurado fique desempregado nesse período, ou se houver, por exemplo, demissão por justa causa, não haverá a cobertura das mensalidades.

Microsseguro

O microsseguro é um plano que se destina de forma exclusiva à população de baixa renda e a microempresários individuais, como uma forma de inclusão para as classes menos favorecidas, criado pelo governo federal em parceria com corretoras de seguros.

Em caso de perda de renda, o microsseguro  cobre danos a bens, como uma máquina avariada, por conta de explosão, raio, vendaval, danos elétricos, roubo ou furto. Seu direcionamento é geralmente a microempresários.

Já no caso de desemprego,  há o pagamento de indenização como uma renda mensal, por tempo determinado, caso o segurado não consiga exercer, de forma involuntária, as funções de seu cargo em um emprego formal remunerado.

Informações mais detalhadas, bem como sobre valores, podem ser obtidas junto ao Administrador e Consultor de Seguros Hallison Santana, da Nordeste Seguros de Bom Jesus da Lapa, ou qualquer outra seguradora.