Os atuais professores da UFOB (Universidade Federal do Oeste da Bahia) tomaram a decisão em uma reunião organizada na segunda-feira à tarde, dia 19/10/2015, de acabar com a greve que começou no início do mês de junho de 2015.

A reunião foi realizada no campus Reitor Edgard Santos, em Barreiras. Dos 53 docentes que compareceram, 46 votaram para acabar com o movimento paredista, 6 pela continuidade do mesmo enquanto um dentre eles preferiu não se manifestar.

A data para a volta as aulas da faculdade bem como, o relativamente novo calendário acadêmico para os semestres de 2015.1 e também 2015.2 serão determinados pelo Conepe (Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão), em reunião extraordinária que deverá ter lugar terça-feira durante a tarde de hoje (dia 20/10/2015). O Conselho é constituído por professores, alunos, técnicos, pela reitora assim como pelo vice-reitor.

Termina a Greve na UFOB em Bom Jesus da Lapa após 141 dias

Termina a Greve na UFOB em Bom Jesus da Lapa e região após 141 dias

A UFOB conta atualmente com 5 campus nos municípios de Bom Jesus da Lapa, Barreiras, Barra, Santa Maria da Vitória e também Luís Eduardo Magalhães. No Total, a universidade dispõe de 163 professores, 2125 estudantes e oferece 29 cursos de formação ao todo.

Termina a greve na UFOB em Bom Jesus da Lapa e Região

A saída unificada das universidades federais da greve foi derivada de um posicionamento do CNG (Comando Nacional de Greve) a partir do ANDES (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior).

A greve dos professores foi suspendida a partir do último dia 14 (depois de 140 dias) na UFBA (Universidade Federal da Bahia). A retomada das aulas na instituição de ensino se deu na segunda-feira (dia 19/10/2015).

Professores federais exigiram um aumento de remuneração de 27%, apesar do fato de que o governo federal disponibilizou 21,3% em 4 anos e logo a seguir propôs 10,8% em dois anos – sendo 5,5% previsto para agosto de 2016 e 5% para o mês de janeiro do ano de 2017.

Posicionamento dos Servidores

Os profissionais técnico-administrativos da área de educação que trabalham na instituição da UFOB terminaram a paralisação do grupo no dia 7 de Outubro de 2015. A greve durou 132 dias. Os Servidores aprovaram a proposição do governo federal de um aumento de 5,5% em agosto de 2016, bem como de mais 5% em janeiro 2017.

Também serão escalados para valores mais altos os encargos de auxílio alimentação, que virão a ser de R$ 458,00; saúde, entre R$ 101,00 e R$ 205,00 e também creche, de R$ 396,00. Todos pontualmente em janeiro de 2016.

O contrato acordado entre o Governo Federal e a Fasubra (Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação Pública do Brasil) prevê além disso o plano de reposição de trabalho correspondente aos dias não trabalhados, como for estipulado por instituições de ensino federais.