7 cuidados ao comprar um imóvel na planta


Home  »  Dicas sobre Construção e ReformaDireitos e Deveres   »   7 cuidados ao comprar um imóvel na planta

É sabido que o sonho da maioria das pessoas é ter a sua casa própria. Atualmente há várias formas de financiamentos e formas de adquirir um imóvel – uma dessas é formas é a aquisição do imóvel na planta. Adquirir um imóvel na planta traz vários benefícios para quem não tem pressa e pode esperar pela finalização da obra.

Comprar um imóvel ainda em construção chega a significar uma economia de 20% a 30% com relação aos imóveis prontos. Outra vantagem é a valorização desse imóvel na entrega das chaves, que pode chegar até 50%, e para completar a lista de vantagens tem ainda a questão da taxa de condomínio, que tem um valor menor.

7 cuidados ao comprar um imóvel na planta
Antes de comprar um imóvel na planta conheça a construtora e verifique a documentação

Apesar disso, sempre é preciso alguns cuidados com relação à compra de um imóvel na planta, independentemente do cenário econômico, pois há aspectos que o comprador deve observar para evitar futuros prejuízos ou dores de cabeça.

Isso porque há muitos casos de fraude, promessas não cumpridas, atrasos na obra, problemas estruturais como rachaduras, desníveis de andares etc – são muitos os problemas que podem surgir caso o comprador não tenha o cuidado de observar alguns fatores antes de fechar negócio – mas, é importante esclarecer que sendo cuidadoso e se precavendo em alguns aspectos, é possível escapar de aborrecimentos futuros.

7 cuidados ao comprar um imóvel na planta

  1. Conheça a construtora

Procure saber se a construtora é conhecida e se tem boa reputação no mercado. Somente em conversas com o corretor não é possível que se consiga chegar a conclusões mais concretas. Uma análise no histórico da construtora é aconselhável – como? Visitando outros empreendimentos/ lançamentos da construtora, verificar com moradores se há problemas de estrutura, se houve atraso na obra ou algum tipo de problema.

O que também ajuda bastante e talvez seja o mais importante de tudo, é verificar se a empresa tem pendências na justiça e consultar a lista de reclamações do Procon.

  1.  Verifique a documentação

Solicite uma cópia do memorial de incorporação da obra e caso o corretor diga que não há, pode ter certeza de que não vem coisa boa, pois é crime levantar uma obra sem ter documentação e licenças. Especialistas afirmam que somente o memorial pode passar uma ideia concreta do imóvel que está sendo negociado, pois ele possui a descrição de tudo que foi registrado no cartório de imóveis, como cálculo da área do imóvel, prova da propriedade do imóvel e várias descrições do imóvel.

  1. Visite a obra

Um dos maiores descuidos que o comprador pode cometer é não visitar a obra pessoalmente. Não é seguro confiar apenas na descrição do imóvel feita pelo corretor – ele quer vender  e ganha uma comissão muito alta por isso, é bom lembrar. Uma pesquisa nos arredores, caso seja possível, também ajuda bastante, saber se tem uma boa infraestrutura de esgoto, com são as taxas de IPTU e de condomínios e tudo que vier a acrescentar.

  1. A maquete não é apenas enfeite

Maquetes em geral são lindas, nela é tudo perfeito – e elas podem ser grandes aliadas, caso não saiba. Através da maquete o comprador pode fazer questionamentos ao vendedor, como por exemplo se o que tem ali corresponde à realidade do empreendimento.

A maquete possui coordenadas, que podem ajudar na escolha da posição do apartamento. Perguntar sobre a vista do imóvel também é importante, pois pode determinar e influenciar no preço do imóvel e em sua futura valorização.

  1. Pesquise bem sobra a política de juros

Até a entrega das chaves, o comprador não paga juros, mas existe o que se chama de “juros no pé”, que são juros abusivos cobrados após a entrega do imóvel – a incorporadora cobra juros de todo o período financiado. É preciso que se saiba que existe uma portaria que considera essa prática irregular.

Também é importante saber que construtoras já ganharam processos na justiça quando foram processadas pela cobrança desses juros. Por isso o recomendável é que haja uma cláusula no contrato que oriente para uma rescisão ou devolução do dinheiro em casos como esse.

  1. Consulte um tabelião

O contrato deve ser firmado com a assessoria de um tabelião e é bom que se saiba que a escritura pública é mais econômica que um contrato particular – de 20% a 40%. Como não são raros casos de irregularidades nesse tipo de contrato, é bem importante que a composição do mesmo seja assessorada por um tabelião, que é imparcial, além de ser uma opção menos arriscada para quem está comprando. Além disso, a escritura pública garante ao comprador parte do terreno onde o imóvel seria construído, caso a construtora não termine a obra.

  1. Seja o beneficiário do seguro

Os contratos firmados com companhias de seguro merecem atenção especial, pois ele serve de garantia tanto para casos de inadimplência do comprador quanto para irregularidades da administradora. Caso o beneficiário seja a incorporadora e se atrasar a obra, o direito de receber a indenização será dela e não do comprador. Por isso, muita atenção às cláusulas, e lembre-se: o beneficiário tem que ser o comprador.

Muita atenção na hora de fechar esse tipo de negócio. Siga nossas dicas à risca e evite problemas futuros. Pesquise, pergunte, converse, levante informações, afinal, estamos falando da compra de um imóvel e não de um produto qualquer que custa pouco e que pode ser reposto com facilidade. Estar bem preparada e munido de informações é o melhor negócio.

Advogados recomendados em Bom Jesus da Lapa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.