Como montar um bom currículo mesmo com pouca experiência de trabalho


Home  »  Dicas   »   Como montar um bom currículo mesmo com pouca experiência de trabalho

Como montar um bom currículo mesmo com pouca experiência de trabalho

Nem todo mundo que está buscando uma colocação no mercado de trabalho tem um currículo relevante em termos de experiência profissional.

Mas isso não precisa ser uma grande preocupação, já que o recrutador precisará entender que pouca experiência de trabalho não significa que o candidato não esteja apto para determinada função, assim como não ter experiência alguma significa que aquela pessoa está buscando o seu primeiro emprego – em uma altura da vida todos passam por esse momento.  O que se faz então? Veja nossas dicas a seguir.

pouca experiência de trabalho

Como montar um bom currículo mesmo com pouca (ou nenhuma) experiência de trabalho

Quando há pouca experiência de trabalho, ou mesmo nenhuma, o segredo é caprichar em outros campos, para “cobrir” o que falta no campo experiências. O grande segredo para quem não tem experiências profissionais a descrever em um currículo: caprichar nas qualificações. São as aptidões, habilidades e competências que terão que prender a atenção do selecionador.

Mas atenção: sem exageros. Ele precisa ver de que forma o candidato poderá colaborar com a empresa, de forma real, então nada de inventar competências que não tem.

Como montar um bom currículo mesmo com pouca experiência de trabalho

Apresentação

A apresentação deve ser curta e direta. Objetivo profissional e áreas nas quais deseja atuar devem ser colocados neste item. O cuidado aqui é não ser muito amplo, que pode parecer que o candidato não tem muito foco na carreira e nem ser muito específico, para não fechar o leque para outras oportunidades.

Competências

O campo de formação  é que vai mostrar ao empregador as suas capacidades. Já que não há experiências profissionais, se deve focar na formação acadêmica – nível, e nos cursos que fez (idiomas, informática, cursos profissionalizantes e especializações).

Habilidades podem também ser descritas aqui, por exemplo: costuma-se colocar “conhecimento em pacote office”, mas isso pode ser melhor explicado, o candidato pode dizer que já elaborou planilhas e gráficos no Excel para um determinado projeto.

Especialistas em Recursos Humanos também apontam para trabalhos desenvolvidos na faculdade ou em cursos, como um TCC, por exemplo, que, dependendo de como foi feito, pode dar uma excelente visão sobre determinado assunto.

Trabalhos voluntários, hobbies e outras experiências

Recrutadores costumam estar atento e dar atenção aos trabalhos voluntários realizados pelo candidato, descreva-os, mas de forma sucinta.

Já os hobbies ajudam o recrutador a conhecer um pouco mais sobre a personalidade do candidato, mas liste apenas os hobbies que acha relevante à vaga para qual está se candidatando.

Intercâmbios também devem ser descritos – há, inclusive, funções que pedem “desejável experiência no exterior”. Dependendo da vaga, um intercâmbio pode contar muitos pontos.

Bicos: o candidato pode até não ter tido um trabalho formal, mas quem nunca fez os famosos “bicos”. Trabalho temporário, ajuda em eventos, trabalho freelancer ou ajuda na empresa da família são experiências que devem ser contadas no currículo de quem não tem pouca experiência.

O que se deve evitar no currículo:

  • colocar pretensão salarial;
  • certificados de cursos;
  • notas escolares/acadêmicas;
  • nomes de pai, mãe, esposa ou filho(s);
  • cartas de referência;
  • experiências como “proatividade” e “criatividade”.

Modelos de currículos para quem tem pouca experiência

Para concluir, há aqui modelos de currículos para primeiro emprego. Eles podem ajudar na hora do candidato criar o seu primeiro currículo, pois têm orientações e dicas de como fazer. Clique aqui e seja direcionado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.