Algumas regras de ouro em finanças pessoais


Home  »  Finanças Pessoais   »   Algumas regras de ouro em finanças pessoais

Dessa vez iremos compartilhar algumas regras de ouro em finanças pessoais, segundo Gilvan da Cred Nordeste em Bom Jesus da Lapa, e esperamos que sejam úteis para melhorar a sua saúde financeira.

Organizar as finanças pessoais é imprescindível para ter uma vida financeira saudável e sem endividamentos. Mas essa tarefa requer bastante disciplina e muito autocontrole (principalmente para os “gastadores”). Educar-se financeiramente é a grande regra em se tratando de finanças pessoais. Entretanto há algumas regrinhas que pode ajudar – e muito! – com essa árdua tarefa.

Algumas regras de ouro em finanças pessoais
Regras de ouro em finanças pessoais para recuperar sua saúde financeira

Regras de ouro em finanças pessoais

  • Gastar menos do que ganha

As finanças pessoais precisam ser organizadas de forma que consigam contemplar todas as necessidades pessoais ou da família, as despesas fixas e reservas, para lazer e mesmo para alguma emergência, caso precise.

Isso vai refletir diretamente no estilo de vida, que deve ser adaptado ao recursos que se tem com a renda mensal. Nada de exageros, nada de desperdícios, não dá para gastar mais do que se ganha, porque isso irá resultar em endividamentos.

  • Muito cuidado ao contrair dívidas

As dívidas, às vezes, são um mal necessário. O carro estragou, a máquina de lavar parou de funcionar, coisas assim sempre acontecem. Vai mandar consertar e não tem uma reserva de dinheiro e precisa usar o crédito, tudo bem, desde que, voltando ao item acima, as parcelas consigam entrar no seu orçamento.

Quer trocar os móveis da sala e fazer parcelado? As parcelas cabem no orçamento? Está preparado para comprometer parte de sua renda por 6, 8 ou 10 meses? Certo. Mas nada de escolher os móveis novos e se encantar por uma cozinha nova e colocar tudo no pacote.

Calma, ande de acordo com os passo que pode dar. Muitas de nossas dívidas são feitas por impulso e se não controlarmos isso, nos endividamos e as contas viram uma bola de neve.

  • Tenha sempre uma reserva

Imprevistos acontecem e todos sabemos disso. Portanto, não seja pego desprevenido – faça uma reserva mensal de sua renda para esses momentos – se quiser, deixe o dinheiro em uma conta poupança. Mas seja disciplinado e não caia na tentação de gastá-lo.

Nada melhor do que ter uma reserva em casos de precisão. Se for um dinheiro que você sabe que não fará falta a curto prazo, pense em aplicá-lo para usá-lo em projetos a médio ou longo prazo.

De que forma controlar os gastos?

Tendo um orçamento doméstico mensal, um planejamento. Faça uma planilha  de planejamento e de acompanhamento – projete as suas despesas fixas  (aluguel, energia elétrica, água, telefone, internet etc), os despesas pontuais (parcelamento da compra da TV, cartão de crédito etc) e o que você pretende (ou precisa) gastar (comprar roupas – destine x valor para isso, presente de aniversário para a irmã etc).

Ao final de tudo, os ajustes serão feitos: não sobrou? Diminua o valor destinado à compra de roupas, dê um presente mais simples à irmã ou retire alguns dos planos, deixe para o próximo mês. Sobrou? O que fazer? Pode destinar algum dinheiro para despesas eventuais e outra parte para a poupança.

Esse é um exemplo, claro que cada um vai fazer a sua planilha de controle de receitas e  despesas e distribuir como quiser. O que não pode é ter um saldo negativo no fechamento – lembre-se: saldo negativo = dinheiro que não entrou, que você não tem.

Esses são os primeiros passos para uma vida financeira equilibrada. E para completar as ‘regras de ouro’ do Gilvan da Cred Nordeste, a tecnologia está aí, cheia de recursos a nosso favor – há alguns aplicativos que ajudam com o controle de finanças pessoas, basta escolher um deles e começar a usar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.