7 erros que todo concurseiro deve evitar


Home  »  Utilidade Pública   »   7 erros que todo concurseiro deve evitar

Anualmente milhares de pessoas investem dinheiro e um muito do seu tempo quando se candidatam a uma vaga em órgãos públicos, oferecidas via concurso público. O que mais atrai são as vantagens, como estabilidade, bons salários e benefícios. Mas até chegar ao cargo, há um longo e árduo caminho a percorrer: a preparação para as provas de concurso.

Preparar-se para um concurso é uma tarefa que exige bastante do candidato, que deve ter em mente tudo o que está em jogo: a possibilidade de uma carreira estável e bem remunerada. E ter bem claro que dedicar bastante tempo, mesmo as horas de lazer, terá a sua recompensa. Acontece que nem todos têm foco e acabam cometendo alguns erros que podem ser o diferencial entre terem passarem na prova ou não. Veja alguns deles.

7 erros que todo concurseiro deve evitar

7 erros que todo concurseiro deve evitar

1 – Não ler o edital atentamente

O edital que rege o certame não é um documento que diga apenas quais as vagas disponíveis, valor de inscrição, locais e horários de provas. Ele é o guia de estudos, é ele que pode ajudar a montar todo o esquema de estudos, pois o edital traz todo o conteúdo programático, além do peso das questões e os critérios de desempate – como a matéria que desempata, por exemplo. Sabendo o peso das questões, o concurseiro vai se aprofundar bem mais no que realmente fará a diferença – não que as outras não façam, mas como uma questão de “a qual tema ele precisa se dedicar mais”.

2 – Deixar para estudar na última hora

Preparação exige um tempo razoável para que o candidato consiga assimilar os conteúdos. Esse tempo reservado para a preparação também evitará que haja estresse, que o concurseiro se sinta sob pressão. E o bem óbvio: se deixar para última hora, não conseguirá aprender tudo. Há candidatos que começam estudar bem antes do edital ser divulgado, porque sabe o quanto representa passar em um concurso e o quanto de preparação ele precisa.

3 – Não conhecer a instituição organizadora do concurso

Assim como o edital, a organizadora pode ajudar a “nortear” o candidato, uma vez que elas têm os seus próprios métodos de avaliação e estilo de prova. Por exemplo: a Esaf é uma das que tem as provas mais complexas do país e a Cespe UNB tem um método de correção em que uma resposta errada anula uma correta. Portanto, dê-se ao trabalho de conhecê-la tão bem quanto conseguir.

4 – Não ter um planejamento e nem método de estudos

Planejamento é a palavra-chave para que o candidato organiza seus estudos. É necessário, senão vira bagunça. Assim como método de estudos. O planejamento facilitará até na hora de avaliar o que foi aprendido e o que precisa ser revisto. Um planejamento com dias e horários, bem como o que será estudado nesses dias. Os conteúdos podem ser divididos e para cada parte pode ser estabelecido um prazo. Uma tabela seria de muita utilidade para isso.

Já o método de estudos é pessoal, cada um deve criar o seu ambiente de estudo, seja lendo em voz alta, ouvindo gravações, fazendo resumos etc.

5 – Não investir em material de qualidade

Quem vai prestar concurso deve saber que um investimento é necessário, e falamos aqui do material de estudo. Os materiais não são assim tão acessíveis, mas são necessários para uma boa preparação. Não adianta ficar pegando uma coisa aqui ou conteúdo ali – informações soltas – ou estudar utilizando apostilas desatualizadas. É imprescindível que se tenha uma apostila com conteúdo atualizado ou mesmo que o candidato frequente um curso preparatório.

6 – Exagerar na rotina de estudos

Dedicar bastante tempo para estudar não significa deixar de dormir para passar a madrugada estudando. O cansaço mental é um dos piores tipos de cansaço e estado cansado, o concurseiro não aprenderá muita coisa. Aqui também entra o planejamento – tendo tudo planejado, as horas de sono e de descanso estão garantidas. Uma mente descansada e relaxada facilita o processo de aprendizado.

7 – Não fazer simulados

Conhecendo o conteúdo, conhecendo a instituição organizadora, o passo seguinte é conhecer a prova. Os simulados são excelentes para que o concurseiro se familiarize com o tipo de prova que irá prestar, bem como para descobrir onde estão suas maiores dificuldades e o que precisará estudar mais. Os simulado também ajudam o concurseiro a ter noção do tempo que terá para a realizar a prova, bem como a marcação das respostas no gabarito.

Com bastante cuidado e tendo muita atenção para não cometer esses erros, as chances de aprovação aumentam. É importante ter em mente que não dá para “se jogar de cabeça” nos estudos sem que haja um planejamento, do que se deve e do que não se deve fazer, neste último caso, as nossas dicas serão bem úteis. Boa sorte!

Gostou do artigo? Você é concurseiro e já cometeu um desses erros? Deixe seu comentário e compartilhe um pouquinho de sua experiência…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.