Mal uso do Whatsapp no trabalho pode resultar em demissões


Home  »  Direitos e DeveresUtilidade Pública   »   Mal uso do Whatsapp no trabalho pode resultar em demissões

Nosso papo de hoje é sobre o uso do Whatsapp no trabalho. As redes sociais sempre estiveram em evidência no âmbito de trabalho, e o aplicativo Whatsapp, em especial, tornou a comunicação interpessoal praticamente instantânea. Empregadores em geral dispensam uma atenção especial a esse assunto, uma vez que ao facilitar a comunicação, quem utiliza o aplicativo não se preocupa muito com hora e local, parece que há um cultura de que se deve estar disponível 24 horas no aplicativo.

Apesar de ser uma ferramenta que também é utilizada para trabalho, o empregado deve ter a consciência de que o Whatsapp é mais uma distração (quando não se está a trabalho), assim como já foram outras redes sociais através dos anos: Orkut, MSN e atualmente também o Facebook.

O uso do WhatsApp no trabalho pode gerar demissões
Se não for para vendas, evite o uso do WhatsApp no trabalho

Bom senso é bom e deve-se saber usá-lo, principalmente em situações de trabalho – importante ressaltar que isso vale tanto para o empregado quanto para o empregador, que é quem deve dar o exemplo. Em uma reunião o empregador se distraindo com o celular, por exemplo, não é um comportamento dos mais adequados.

O uso do WhatsApp no trabalho pode gerar demissões

De situações em que empregado deve usar bom senso à situações que podem ter um desfecho um pouco complicado: caso não saiba utilizar com moderação o aplicativo, gerando desatenção ao trabalho e problemas com o cumprimento de tarefas, poderá sofrer consequências como receber penalidades disciplinares. Só que isso vai ainda mais além: caso seja utilizado de forma inadequada, os funcionários podem, além de serem advertidos, ser suspensos e até mesmo ter o contrato de trabalho rescindido por justa causa.

A proibição do uso do WhatsApp no trabalho

O empregador tem todo o direito de exigir do funcionário a sua concentração total no trabalho, restringindo ou proibindo o uso do aplicativo para fins particulares. Há casos de empresas que proibiram totalmente o uso do WhatsApp no trabalho, bem como de redes sociais com o Facebook, tanto no computador  quanto no celular.

A alegação é de que os empregados ficam dispersos, sua atenção fica voltada à outras coisas, acabam perdendo o foco do trabalho e isso resulta em seu trabalho e procedimentos sendo feitos de forma errada. O desempenho do funcionário cai e se acostuma, vai acabar passando o dia todo de bate papo, sem contar que muitos não tiram os avisos sonoros e fica aquele aviso de mensagem apitando, incomodando e atrapalhando os demais.

Além dos casos de desempenho ruim por conta da distração com o aplicativo, há os casos em que o empregado se manifesta em grupos do WhatsApp de forma ofensiva com relação à empresa onde trabalha, ao seu ambiente de trabalho ou a chefe e colegas.

A proibição do uso do WhatsApp no trabalho
Foto: Aroma News

Por isso é preciso muita cautela com o uso de aplicativos como o WhatsApp – utilizá-lo somente em casos de emergência e nos intervalos de trabalho, evitando assim qualquer complicação no ambiente de trabalho que podem acarretar punições e mesmo uma demissão.

Segundo o advogado trabalhista, João Carlos Sambüc, os empregadores devem deixar bem claras as regras e divulga-las bastante para que os funcionários saibam que o uso do aplicativo é restrito ou mesmo proibido. Dessa forma, terá como adverti-los sem que eles aleguem que não sabiam das normas da empresa.

Advogados recomendados em Bom Jesus da Lapa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.